Pesquisar neste blogue

quinta-feira, fevereiro 19, 2009

F e r i d a s

Mais e menos abertas. Mas sempre dolorosas. O desejo de mudança e a fraqueza dela. Sei que vem, mas também não quero.
A vontade de por momentos parar o tempo e correr para aqueles colos. Os da segurança. Os do aconchego. Dos quais fugi.
O infindável desassosego. A amarga insatisfação.
Os olhos pesados.
A rosa esperança que vai murchando com o cair do sol, com a nostalgia da noite.

Voltar. Andar. Estagnar. Correr. O novo. O antigo.

2 comentários:

Pat disse...

Seja para que lado for e a que ritmo for, o caminho é para a frente! Mesmo que se tenham de saltar por cima de pedras ou mesmo tropeçar nelas, com ou sem apoio de um colo, um ombro ou uma mão.

Bisou pa tu

Rogerio R Ferreira disse...

conguita sabe que tem empre alguns colos sempre a jeito... não é munina?